Regulamento

CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE BEACH TENNIS

1. CADASTRO

Será disponibilizado em breve, juntamente com o novo sistema da CBBT.

2. FILIAÇÃO

Será disponibilizado em breve, juntamente com o novo sistema da CBBT.

3. CATEGORIAS

3.1 AMADORAS

Masculino: A, B, C, Sub 18, 40+, 50+, FUN

Feminino: A, B, C, Sub 18, 40+, 50+, FUN

Mistas: A, B, C

3.2 PROFISSIONAIS

Masculino

Feminino

Mista

4 . SISTEMA DE DISPUTA

4. 1 AMADORAS

Fase de GRUPOS - joga-se um SET até 6 games, havendo empate 6-6 joga-se um tie-break até 7 pontos.

Fase ELIMINATÓRIA – joga-se um SET até 8 games (PRO set) havendo empate em 7-7 o jogo vai a 9, empatando 8-8 joga-se um tie-break até 7 pontos.

Fase FINAL - joga-se um SET até 8 games (PRO set) havendo empate em 7-7 o jogo vai a 9, empatando 8-8 joga-se um tie-break até 7 pontos.

Em todos os games, caso aconteça empate em 40x40, haverá disputa em NO-AD (sem vantagem).

4.2 PROFISSIONAIS

Disputada em chave eliminatória, com exceção de quando inscritas somente  7 duplas. Joga-se melhor de 3 sets, em caso de empate 1-1 o terceiro set é até 6, sendo que se houver empate em 6-6 joga-se um tie-break até 7 pontos. Em todos os games, caso aconteça empate em 40x40, haverá disputa em NO-AD (sem vantagem).

4. 3 FORMAÇÃO DE GRUPOS

As duplas serão distribuídas conforme o número total de inscritos em cada categoria, obedecendo a distribuição abaixo:

4.4 DISTRIBUIÇÃO DAS DUPLAS NOS GRUPOS 

As duplas serão divididas em grupos, iniciando-se com os cabeças de chave que ocuparão a primeira posição de cada grupo e as demais vagas sorteadas entre os demais jogadores pela CBBT.

4.5 CABEÇAS DE CHAVES 

Será definido pelo somatório da pontuação dos atletas que formam a dupla no ranking da CBBT, em ordem crescente, para decidir os cabeças de chave. A dupla com a maior soma das pontuações, será o cabeça 1 (um) do torneio. Em caso de atletas com ranking IFBT Beach Tennis dentre #100, utilizar os parâmetros da tabela abaixo:

Ex: Atleta X (10º IFBT  Beach Tennis) assume a pontuação/colocação do atleta número 1º do RANKING CBBT.

4.6 SUBSTITUIÇÕES

Em torneios CBbT serão permitidas substituições de parceiros após o término da inscrição, somente mediante envio de atestado médico (CRM) para o e-mail, contato@cbbtenis.com. Após o sorteio e a divulgação das chaves, não será permitida qualquer substituição.

5. CRITÉRIOS DE DESEMPATE

No caso de empate na pontuação dos grupos realizados, a definição das posições será determinada observando-se os seguintes critérios, pela ordem:

Empate com 2 duplas / atletas:

a) Maior número de vitórias;

b) Confronto direto.

Empate com 3 duplas / atletas

a) Número de vitórias;

b) Saldo dos games / sets;

c) Sorteio.

6 – CONFIRMAÇÃO DE PRESENÇA

Os jogos deverão ser chamados da “Mesa de Arbitragem”, através de sistema de som e todos os atletas inscritos deverão confirmar a sua presença no local. Haverá tolerância de 15 minutos para a apresentação do atleta em quadra, a partir da chamada do jogo. Será declarado perdedor o atleta que não se apresentar na quadra, após esse período de tolerância. Não havendo o comparecimento dos dois adversários, ambos serão declarados perdedores por WxO.

7 – TIPO DE BOLAS

Devem ser utilizadas bolas específicas para o Beach Tennis. Não poderá haver alteração no tipo de bolas durante todos os jogos de um torneio, exceto no caso de força maior.

8 – PREMIAÇÃO

Todas as etapas da CBBT (G4) em 2018/2019 devem respeitar a divisão da premiação conforme descrito abaixo:

Todas as etapas da CBBT (G2 e G3 ) em 2018/2019 devem respeitar a divisão da premiação conforme descrito abaixo:

Todas as etapas da CBBT (G1 até R$14999 e  G0 15000 +) em 2018/2019 devem respeitar a divisão da premiação conforme descrito abaixo:

9 – ALTERAÇÃO TÉCNICA

Fica a critério da organização da CBBT, qualquer alteração na programação, no formato e na forma de disputa das etapas em virtude das condições climáticas.

O atleta só poderá jogar em duas categorias amadoras de níveis diferentes desde que seu nível for da categoria inferior.

Ex:  nível C jogar nível B ou nível B jogar nível A

10 - RANKING

10. 1 RANKING NACIONAL

Todos os atletas que participarem dos torneios oficiais da CBBT, terão seus pontos computados no Ranking Nacional CBBT na temporada julho 2018 a Junho 2019.

10. 2 RANKING ATLETA

Os pontos da dupla serão computados individualmente, portanto o ranking é baseado nos resultados de cada atleta da dupla.

10. 3 GRADUAÇÕES E PONTUAÇÕES

Os pontos do ranking serão disputados em torneios de graduações distintas, que serão pré- estabelecidos para todos os eventos oficiais, utilizando como base a adequação do projeto do evento, aos requisitos mínimos de desenvolvimento do torneio, previstos pelo comitê da CBBT.

As graduações e pontuação do ranking de todas as categorias será baseada na tabela abaixo:

11. REGRA DE ACESSO AS CATEGORIAS AMADORAS

O atleta poderá iniciar o ano na sua categoria condizente ao seu nivel técnico podendo escolher o acesso a uma categoria acima quando bem quiser.

Ao final da temporada os 4 primeiros atletas de cada ranking obrigatoriamente subirao de categoria na proxima temporada.

12. DECISÕES EM TORNEIOS OFICIAIS

12.1 DIRETOR DO TORNEIO

Total autonomia para tomar decisões durante o torneio, que tenham como objetivo o bem-estar dos atletas e credibilidade das instituições envolvidas, respeitando este regulamento e as regras estabelecidas na divulgação do evento.

12.2 ÁRBITRO GERAL

Cada torneio oficial da CBBT contará com pelo menos um arbitro geral qualificado, que será responsável por monitorar os jogos, fazer cumprir as regras oficiais do torneio e do esporte, cumprir o cronograma previsto e consolidar os resultados. O Árbitro Geral tem autoridade para tomar qualquer decisão que esteja prevista nas regras oficiais dos torneios da CBBT. Caso exista ocorrência não prevista nas regras oficiais, o árbitro tem autoridade para apresentar a decisão final, tendo a obrigação de dirimir todas as dúvidas dos atletas envolvidos e divulgar o resultado da decisão, sempre que solicitado. O Árbitro Geral fica impedido de participar do torneio como atleta e não poderá exercer outra função na organização do evento.

13. AJUDA TÉCNICA EXTERNA

Durante toda a partida, incluindo o tempo técnico, tratamento médico e trocas de lado, não será permitida a transmissão de instrução aos atletas, sofrendo penalidade do código de conduta.

14 – ACIDENTES DURANTE A PARTIDA

Caso o atleta tenha uma lesão durante o jogo, ele terá 3 minutos para recuperação e tratamento médico. Após esse tempo, se permanecer impossibilitado para prática do esporte, a dupla será eliminada do torneio e não será permitida a entrada de substitutos individuais ou em dupla, e os pontos jogados serão computados e, caso a dupla ou atleta ainda tenha jogos a realizar no torneio, mas não puder prosseguir, será aplicado o W.O. com placar de 6x0.

Se a lesão do atleta for ocasionada por objetos pontiagudos, pedras ou outros detritos encontrados na areia da quadra, ele terá um tempo limite de 30 minutos para recuperação e atendimento médico.

15. CÓDIGO DE CONDUTA

O código de conduta poderá ser aplicado pelo árbitro geral, árbitros-auxiliares (independentemente de estarem dentro da quadra ou fora dela) ou árbitro de cadeira a qualquer tempo. Para aplicação do código de conduta, o árbitro-geral ou os seus auxiliares, deverão adentrar a quadra e em voz clara e audível informar ao tenista infrator a penalidade aplicada, conforme segue:

a) Obscenidade Audível: Palavras obscenas ditas pelos jogadores em qualquer idioma;

b) Obscenidade Visível: Gestos ou atitudes obscenas visíveis;

c) Abuso de Bolas: Bolas golpeadas propositalmente para dentro ou fora da quadra, mesmo com o jogo terminado, enquanto o atleta estiver na quadra;

d) Abuso de Raquete ou Equipamento: Qualquer atitude destrutiva utilizando raquetes ou equipamentos da quadra;

e) Abuso Verbal: Expressão verbal, que desrespeite o oponente, arbitragem ou público em geral;

f) Abuso Físico: Agredir fisicamente seu oponente, arbitragem ou público;

g) Instrução: Qualquer tipo de comunicação audível ou visível entre o jogador, técnico, pais ou acompanhantes;

h) Conduta Antidesportiva: toda e qualquer atitude antidesportiva que não esteja prevista nos itens acima.

15.1 PENALIDADES

1ª Ofensa: Advertência;

2ª Ofensa: Perda de Ponto;

3ª Ofensa: Perda de Game.

Obs. A partir da 4ª ofensa, ficará a critério do Árbitro Geral se continua penalizando com perda de games ou com desclassificação do tenista faltoso. Dependendo da gravidade do ato cometido pelo tenista, o mesmo poderá ser desclassificado sem passar pelo processo normal acima descrito.

16. FALTA DE SERVIÇO

Falhas de serviço ocorre quando: o jogador arremessa e erra a bola ao tentar atingi-la, a bola bate em um objeto permanente, na rede, nas paredes ou o teto de uma área coberta antes de tocar o solo e o servidor invade a linha de base antes de tocar na bola.

A falta do pé ocorre quando servidor piso na linha de fundo antes de bater na bola.  

17. ATENDIMENTO FISIOTERÁPICO / MÉDICO

Todos os torneios deverão ter, obrigatoriamente, um profissional da área de Fisioterapia para prestar atendimento em caso de lesões, contusões, entre outros. Durante o atendimento, que não poderá exceder o tempo regulamentar de 3 minutos contados a partir do início do tratamento, o árbitro deverá estar presente na quadra.

Não são permitidos quaisquer tratamentos que requeiram injeções, infusões intravenosas ou utilização de oxigênio dentro ou fora da quadra, com exceção dos tenistas portadores de diabetes, onde é permitida a utilização do tempo 24 médico para verificação da dosagem sanguínea e aplicação do medicamento, se necessário. Todos os torneios com a chancela CBBT e/ou IFBT deverão ter uma ambulância de prontidão no local do torneio para atender aos atletas e torcedores, caso necessário transporte rápido à uma unidade de saúde.

18. ATLETAS

18.1 TRAJE

Os atletas deverão utilizar o traje adequado para a prática do esporte, ficando expressamente vedado a utilização de tênis ou qualquer calçado inapropriado para areia, salvo se o piso estiver com menos de 10 cm de areia.

Fica expressamente proibida a participação do atleta na premiação sem o traje adequado, composto, no mínimo, de camiseta própria ou do evento, além de biquíni, sunga ou short.

19. COMITE DISCIPLINAR

O Comitê Disciplinar da CBBT tem autonomia para avaliar os casos de indisciplina e pode descredenciar o atleta por um período a ser determinado. O Atleta durante o período do julgamento, que não poderá passar de 30 dias, terá todas as suas atividades e registros no site oficial da CBBT bloqueados. O Atleta dependendo da gravidade do julgamento poderá ter a eliminação dos pontos no ranking, suspensão e/ou proibição de participação nos eventos oficiais da CBBT por um período ou até em definitivo.

20. RECURSOS

Todos os atletas terão direito a recorrer em relação a medida imposta pelo Comitê Disciplinar com até sete dias após a aplicação da penalidade, que será julgado e aprovado por unanimidade pelo Comitê Executivo da CBBT para a sua readmissão.